Resultados esperados

O projecto terá uma fase preparatória, na qual serão realizados trabalhos de:

    • caracterização e diagnóstico da situação dos habitat-alvo, não só através da sua cartografia de pormenor usando meios topográficos, mas também recorrendo à metodologia River Habitat Survey, ferramenta a utilizar na monitorização da componente hidromorfológica, abrangendo a escala longitudinal e a transversal do curso de água, incluindo o canal, a zona ripária e o leito de cheia;
    • inventariação das populações de odonatos e náiades, aprofundando os conhecimentos relativos às suas distribuições nas áreas seleccionadas, sendo a monitorização dos resultados sobre as espécies decorrerão ao longo do projecto;
    • inventariação das densidades de peixes hospedeiros das larvas das náiades para calcular o esforço de repovoamento necessário e não colocar em causa a sobrevivência das populações selvagens;
    • definição do plano de acção, incluindo a sua operacionalização, calendarização e monitorização de indicadores, meios de verificação e pressupostos de realização;
    • elaboração dos projectos técnicos das intervenções a realizar no terreno.

Numa segunda fase, terão início as acções de restauro do habitats-alvo e de reconfiguração da micro-topografia do leito e das margens e serão efectuadas as capturas das náiades e dos peixes hospedeiros das suas larvas. Nesta fase terá também início a componente de reprodução ex situ, após adequação das instalações e instalação dos equipamentos necessários.

Na terceira fase, continuar-se-ão as acções de restauro do habitat, dando especial enfoque à diversificação de micro-habitat para odonatos, náiades e peixes e serão instaladas as primeiras novas colónias de náiades e libertados os primeiros juvenis dos peixes hospedeiros. A aplicação destas acções estará sujeita a uma monitorização permanente, a fim de avaliar se as diferentes técnicas utilizadas são susceptíveis a apresentar resultados satisfatórios para a manutenção de habitats em bom estado de conservação e no incremento das populações de invertebrados, e se destas resulta algum campo de aplicação para a sua replicação em cursos de água com características similares, fornecendo orientações para garantir a sua continuidade no longo prazo.

Este projecto irá incluir um programa de comunicação e de divulgação de resultados. Para além das medidas obrigatórias, prevemos o uso de diferentes meios, consoante o público-alvo e o alcance da sua divulgação, destacando-se publicações impressas diversas, uma exposição, um suplemento de divulgação do progresso dos resultados do projecto e recursos audiovisuais.

O projecto visa efectuar as seguintes intervenções, distribuídas ao longo de 12 Km lineares de zona ripária no Rio Paiva e 5 Km na ribeira do Torgal:

–          restauração de cerca de 15 hectares do habitat prioritário ― 91E0 *Florestas aluviais de Alnus glutinosa e Fraxinus excelsior (Alno-Padion, Alnion incanae, Salicion albae), ou seja, 11 hectares no SIC “Rio Paiva” e 4 hectares no SIC “Costa Sudoeste”;

–          aumento da área de ocupação do habitat em aproximadamente 5 hectares.

Para tal, nos cerca de 20 hectares, preconiza-se a realização das seguintes acções:

–          Plantar cerca de 10.000 árvores e arbustos presentes nas composições florísticas dos bosques de amieiros locais (e.g. Alnus glutinosa, Fraxinus angustifolia, Laurus nobilis, Salix atrocinerea, Crataegus monogyna, Salix salviifolia subsp. salviifolia, Frangula alnus e Sambucus nigra);

–          Reconectar 5 hectares de leitos antigos de rio e melhorar 2 hectares de novas áreas para incrementar as populações de odonatos, através da instalação de macrófitos;

–          Reforçar os núcleos populacionais existentes de M. Margaritifera adicionando 4 500 juvenis aos 500 indivíduos adultos que se estimam existir;

–          Reforçar os núcleos populacionais de U. tumidiformis (=U. crassus) com 400 indivíduos juvenis, que se juntarão aos 100 adultos que se estimam existir;

–          Realizar duas acções de repovoamento de peixes hospedeiros das larvas;

–          Criar e dinamizar duas áreas de pesca desportiva concessionada;

–          Produzir materiais de divulgação como um folheto, uma brochura, três vídeos e um documentário, dois cartazes com ilustração científica sobre o ciclo de vida de náiades e dos peixes hospedeiros e sobre as libélulas, bem como elaborar uma exposição interpretativa sobre os bosques ripícolas de amieiros, complementada com um guia de exploração pedagógica e um suplemento num jornal.

Anúncios

Projecto:

 

LIFE10 NAT/PT/000073

Com a contribuição

do instrumento financeiro LIFE da UE:

___

Parceiros:

_

Esta página já teve:

  • 13,671 visitas

%d bloggers like this: